quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Dedico este poema com carinho,
a todos os que têm filhos, que são pais e mães atentos.
E também a Duh, bjos.
Teus Filhos
Teus filhos não são teus filhos,
são filhos e filhas da vida, desejosa de si mesma.
Não vêm de ti, senão através de ti
e ainda que estejam contigo, não te pertencem.
Podes dar-lhes o teu amor,
mas não os teus pensamentos,
pois, eles têm os seus próprios pensamentos.
Podes obrigar os seus corpos,
mas não as suas almas,
porque elas vivem na casa do amanhã,
que não podes visitar, nem sequer em sonhos.
Podes esforçar-te, para seres como eles,
mas não procures fazê-los semelhantes a ti.
Porque a vida não retrocede nem para o dia de ontem.
Tu és o arco do qual teus filhos,
como flechas vivas, são lançados.
Deixa que a inclinação, na tua mão de arqueiro,
seja para a felicidade.
Kahlil Gibran

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Hortências... não são de todo difíceis de pintar,
se bem que a primeira vez custa sempre...
... mas gostei da experiência, talvez volte a
repeti-la um dia...

Ocorreu um erro neste dispositivo
Ocorreu um erro neste dispositivo